you're reading...

Em Português

Presidente da Apple pede que céticos climáticos não comprem ações da empresa

Investidores mais interessados em lucros do que em combater as mudanças climáticas não deveriam adquirir ações da Apple. Essa foi uma das mensagens que Tim Cook, atual CEO da gigante de tecnologia, deixou para os acionistas no encontro anual da empresa na última sexta-feira (7).

A declaração foi uma resposta às insinuações feitas pelo representante do Centro Nacional de Pesquisas de Políticas Públicas (NCPPR), Justin Danhof, de que a busca da Apple por cortar emissões de gases do efeito estufa e por utilizar energias limpas era prejudicial para os investidores.

“Quando construímos nossos aparelhos para serem acessíveis aos cegos, não levamos em conta a porcaria do lucro. O mesmo vale para as questões ambientais e de saúde. Se você não acredita em mudanças climáticas, não deveria comprar nossas ações. Se você acha que o retorno do seu investimento é mais importante do que tudo, você não deveria investir na Apple”, afirmou Cook.

“Queremos deixar um mundo melhor do que o que encontramos”, completou.

O NCPPR, que é uma consultoria de extrema direita dos Estados Unidos, posteriormente divulgou um comunicado atacando a Apple.

“Os milhões de acionistas da empresa agora sabem que a Apple não atua pensando no que é melhor para eles. Podemos ter certeza que uma quantidade do dinheiro dos investidores está sendo desperdiçada para combater a chamada mudança climática. A dúvida que fica é quanto dinheiro está sendo perdido.”

“O CEO deseja ardentemente que os investidores que se importam mais com seus retornos do que com a redução nas emissões de CO2 deixem de comprar ações da Apple. Talvez eles devessem fazer isso mesmo”, afirma o comunicado.

No entanto, a posição de Cook foi bem recebida por outro grande empresário, Richard Branson, presidente do grupo Virgin.

“Estou imensamente impressionado pela coragem de Cook. As empresas precisam mesmo se erguer contra os céticos climáticos e dizer que eles devem sair da frente”, escreveu Branson em seu blog, destacando que investimentos em energia limpa e em redução de emissões devem ser feitos mesmo se contrariarem acionistas.

“Mais companhias deveriam seguir o exemplo da Apple e apostarem em sustentabilidade”, acrescentou.

A Apple está entre as 140 empresas que na semana passada assinaram uma Declaração Climática que pede que os Estados Unidos combatam os desafios do aquecimento global com urgência.

Apesar da boa imagem que a Apple tem quando o assunto são mudanças climáticas, a empresa apresenta problemas com relação a outro grave problema, o trabalho escravo. Inclusive, em 2013, uma reportagem da BloombergBusinessweek afirmou que a companhia usou mão de obra do Sudeste Asiático em condições análogas à escravidão na produção do Iphone5.

Por: Fabiano Ávila
Fonte: Carbono Brasil

Newsletter

Banners



Outros Sites

Parceiros